Volta ao Mundo no Veleiro Don | Izabel Pimentel

A Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro (ABVC) promove a palestra:

izabel

VOLTA AO MUNDO NO VELEIRO DON

IZABEL PIMENTEL

Em 2006 Izabel Pimentel se tornou a primeira velejadora brasileira a cruzar o Oceano Atlântico em solitário. Em 2007, partiu da França e realizou sua segunda travessia do Atlântico. Em 2008 foi a primeira brasileira a participar da Refeno em solitário. Em janeiro de 2009, Izabel partiu de Paraty e foi para a França, realizando assim sua terceira travessia do Atlântico. Nesse mesmo ano, consagrou-se como a primeira brasileira a participar de uma regata transoceânica, a Transat 6,50, em solitário. Com mais essa travessia, Izabel soma quatro travessias do Atlântico.

Izabel Pimentel tornou-se a primeira velejadora brasileira e latino-americana a completar uma rota de circum-navegação, a solo a bordo de um veleiro de alumínio de 34 pés, o Don, do renomado projetista francês Philippe Harlé. A aventura teve início em agosto de 2012, partindo da cidade de Sète, na França. A primeira etapa foi entre a Europa e o Brasil, e a segunda etapa foi a circum-navegação do globo em solitário Brasil-Brasil, em latitudes próximas aos 40ºS, atravessando os oceanos Atlântico, Índico e Pacífico, e passando pelos cabos da Boa Esperança, Leewin e Horn.
Programe-se:
Data: 09 de abril de 2015
Horário: 19h00
Local: Centro Cultural da Marinha em São Paulo
Av. Nove de Julho, 4.597 – São Paulo – SP
Valor: R$ 20,00 para sócios e R$ 30,00 para não sócios da ABVC
Inscrições: secretaria@abvc.com.br
Vagas limitadas
Não há estacionamento no local.

4ª Etapa Circuito Santista de Vela | Volta da Laje de Santos

home_semana48

DATA: 1º DE MAIO DE 2015 – SEXTA FEIRA

AVISO DE REGATA

O Iate Clube de Santos, juntamente com o Clube Internacional de Regatas convidam os velejadores de oceano das classes IRC, BRA-RGS RGS, CRUISER para participarem da 4ª Etapa do Campeonato Santista de Oceano 2015.

Antecipamos a divulgação do AR para que os interessados tenham maior tempo para a preparação de seus barcos.

INTRODUÇÃO

O Iate Clube de Santos organizará a regata de oceano Volta da Laje de Santos, prevista no Calendário de Regatas de Santos e homologada pela ABVO e pela FEVESP.
A finalidade será criar a oportunidade para os velejadores da região de Santos e também de outras, navegarem no oceano, com percurso parcialmente noturno, tipo de regata ausente do calendário em anos recentes.

É sabido que a distância de ida e volta dificilmente poderá ser percorrida no período diurno, mesmo com o horário de largada pela manhã, dada as condições de vento normalmente encontradas em Santos, daí a grande probabilidade da chegada acontecer no período noturno, quando os ventos, sujeitos aos efeitos da proximidade de terra, são em geral fracos ou inexistentes, provocando um numero grande de desistências.

É evidente que em condições especiais e raras, poderemos ter ventos que permitiriam uma regata rápida, porém não podemos estabelecer uma regata contando com condições especiais em Santos.

Assim, não só porque a ideia básica é permitir uma navegação oceânica e em período noturno, como também procurando evitar uma chegada a noite, em condições críticas, é que estamos propondo que a largada seja efetuada às 16
horas do dia 1° de maio, feriado, com limite de tempo até 18 horas do dia 2 de maio.

Tratando-se de uma regata de oceano, em mar aberto, os barcos deverão estar qualificados para tal navegação perante a Marinha, (Norman em vigor), além de ser de responsabilidade do comandante, ter a bordo não só os itens exigidos por essa autoridade como também outros que ele entender, a seu critério, necessários para a segurança da embarcação e dos tripulantes.

Os barcos deverão possuir equipamento de radio-comunicação VHF em instalação fixa a bordo, operando nos canais 68, 73, 74, além dos obrigatórios nas normas marítimas especificas.

Quanto ao tamanho mínimo será de 25 pés de LOA.

LOCAL, ORGANIZAÇÃO, SEDE E ESTADIAS

A Sede e a Autoridade Organizadora é o Iate Clube de Santos, a estadia de veleiros competidores é livre na marina do Guarujá, entre os dias 25 de abril e 4 de maio.

REGRAS E ELEGIBILIDADE
Conforme Regras de Regatas a Vela (RRV) da ISAF. 2013/2016, regras das classes, para os veleiros elegíveis, com certificados de medição válidos 2015 para todas as classes e demais documentos usuais das respectivas classes e também da Marinha do Brasil.

Para os barcos que não possuírem certificados de medição será usado o critério estabelecido para as etapas anteriores do Campeonato Santista de Oceano 2015.

A Comissão Organizadora poderá realizar inspeção dos barcos inscritos, que deverão estar disponíveis, para verificação do atendimento das exigências acima.

CLASSES CONVIDADAS

Estão convidadas as classes IRC, BRA-RGS, Categorias A e B e RGS- CRUISER.

INSCRIÇÕES

Serão feitas a partir do dia 13 de abril, até o dia 28 de abril, na secretaria náutica do ICS, pessoalmente ou por e-mail. A taxa de inscrição será de R$ 30,00 por tripulante.

PREMIAÇÃO

Serão premiados os três primeiros colocados de cada classe, desde que haja pelo menos quatro barcos inscritos em cada uma, haverá um premio para o “fita azul” e a cerimonia será em data a ser, ainda, definida pelo ICS.

PERCURSO- LARGADA E CHEGADA
Ida e volta até a Laje de Santos que deverá ser contornada livremente.
Largada e chegada serão nas proximidades da Ponta Grossa ou em outro local mais para o interior da baia de Santos, conforme condições de vento e de mar nos dias 1° e 2 de maio.

RESPONSABILIDADES

Os competidores que participarem desse evento o farão por seu próprio risco e sob sua única responsabilidade. Fica valendo a REGRA 4 DECISÃO DE COMPETIR. O ICS. e/ou a Comissão técnica e/ou a comissão de regatas e/ou os patrocinadores e/ou os apoiadores, não se responsabilizarão por quaisquer danos materiais, físicos ou mesmo de morte, relacionados diretamente a esse evento esportivo.

DIREITOS DE MIDIA E DE DIVULGAÇÃO DO EVENTO

Os direitos de mídia e da divulgação desse evento, das imagens fotográficas e/ou filmadas e/ou registradas por outra forma, são exclusivos e irrestritos do ICS, que poderá determinar a quem repassa-los para uma das mídias disponíveis, tanto para fins editoriais ou de divulgação comercial. Nesse sentido os nomes dos competidores e/ou de seus barcos e/ou seus dados, materiais biográficos e de divulgação estarão desde já disponibilizados sem restrições ao ICS.

Desde já o ICS agradece a presença e desejamos bons ventos e ótima velejada oceânica, boa sorte.

As instruções de regata complementarão as informações.

Odoardo Heitor Lantieri
Diretor de Vela do Iate Clube de Santos.
Secretaria Náutica ICS
(13) 3348-4112 / 3348-4113
Fax: (13) 3358-2873
nautica@icsantos.com.br

Regatas Solitário e Ele & Ela | Resultados

home_semana66

Senhores Velejadores:

Divulgamos a classificação, por tamanho (L.O.A),  de acordo com o critério previsto no item 4.4 das instruções de regata, dos barcos participantes das regatas  ELA e ELE  e  EM SOLITARIO.

REGATA  ELA E ELE

ORDEM DE CHEGADA – HORA  DE CHEGADA – COLOCAÇÃO  POR L.O.A.

MANDINGA         14.37 57    Primeiro “A”

PANà –PANà     14.43.56    Primeiro “B”

INTI                     14.55.45    Segundo “B”

CLARA                 15.15.21    Segundo “A”

FRATELLI           15.19.26    Terceiro “B”

 

REGATA  EM  SOLITÁRIO

ORDEM DE CHEGADA – HORA DE CHEGADA – COLOCAÇÃO POR    L.O.A.

TOTORA +          14.38.00    Primeiro “B”

COOPERAÇÃO   15.09.22    Primeiro “A”

HARMONIE        15.11,10    Segundo “B”

DREAMS            15.12.13    Terceiro “B”

ICTI                    15.27.15    Segundo “A”

METELMI         15.50.35    Quarto “B”

 Fita Azul  geral (duas regatas)   “Mandinga”.

Alex Welter é campeão do Sul-Brasileiro de A-Class 2015

_MG_0702

Seis regatas foram disputadas na Represa Guarapiranga.

O Yacht Club Santo Amaro sediou neste final de semana, 28 e 29/03, o campeonato que fechou o movimentado mês de Março no calendário de regatas do clube, o Sul-Brasileiro de A-Class 2015.

Antecedendo o Brasileiro da classe, que começa na véspera de feriado 02/04, o Sul-Brasileiro contou com 8 velejadores e teve seis regatas disputadas na Represa Guarapiranga.

Com um número consideravelmente baixo de participantes, mas com um nível técnico alto, o campeonato teve na raia campeões olímpicos como o veterano Alex Welter, e até mesmo uma nova geração, o filho do parceiro de Alex na conquista olímpica de Moscou em 1980 (Tornado), Iuri Bjorkstrom, filho de Lars Bjorkstrom.

Alex Welter - Campeão Sul-Brasileiro de A-Class 2015
Alex Welter – Campeão Sul-Brasileiro de A-Class 2015

Falando em Alex Welter, o atleta do YCSA também campeão paulista da classe ano passado, foi unânime. Enfrentando uma variação relativamente alta do clima, até mesmo com chuva forte, Alex venceu quase todas as regatas. Na última, tirou um segundo lugar e se consagrou campeão.

Na segunda colocação, Allan Lowy (YCP – pai de Martin Lowy do Audi YCSA Sailing Team) levou para casa a prata após vencer a última regata, e manter a média nas outras cinco. Foi seguido de perto Raymond Okeeffe do CCSP que ficou com o terceiro lugar.

Quinta-feira, 02/04, começa o Campeonato Brasileiro de A-Class e teremos um repeteco na raia! A expectativa é ainda maior!

Confira a súmula final clicando aqui.

CAMPEONATO SUL BRASILEIRO DE A-CLASS 2015

YACHT CLUB SANTO AMARO

Results are final as of 16:37 on March 29, 2015

Overall

Sailed: 6, Discards: 1, To count: 5, Entries: 8, Scoring system: Appendix A
Rank HelmName SailNo Club R1 R2 R3 R4 R5 R6 Total Nett
1st ALEX WELTER 22 YCSA 1.0 1.0 1.0 1.0 1.0 (2.0) 7.0 5.0
2nd ALAN LOWY 23 YCP 4.0 (5.0) 2.0 2.0 4.0 1.0 18.0 13.0
3rd RAYMOND OKEEFFE 120 CCSP (6.0) 2.0 3.0 5.0 2.0 4.0 22.0 16.0
4th MARCO BELDA 20 CCSP 2.0 (9.0 OCS) 4.0 6.0 3.0 3.0 27.0 18.0
5th RICARDO LOWY 28 YCSA 3.0 (6.0) 6.0 3.0 6.0 5.0 29.0 23.0
6th MICHAEL KUNATH 25 YCP 5.0 4.0 5.0 7.0 7.0 (9.0 DNF) 37.0 28.0
7th ALBERTO H. KUNATH 19 CCSP (9.0 DNC) 3.0 9.0 DNF 4.0 5.0 9.0 DNC 39.0 30.0
8th IURI BJORKSTROM 13 YCSA 7.0 7.0 7.0 (8.0) 8.0 6.0 43.0 35.0

Fonte: YCSA

Veleiro que será usado no Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship

Informações S40 é o mais moderno barco one design da vela oceânica | Crédito: Mathias Capizzano / Mitsubishi
Veleiro foi desenvolvido pelo projetista Javier Soto Acebal | Crédito: Mathias Capizzano / Mitsubishi

A praia de Jurerê, em Florianópolis (SC), será palco da 3ª edição do Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship entre os dias 12 e 16 de abril. Durante as 10 regatas previstas, grandes nomes da vela, medalhistas olímpicos e campeões mundiais, como Torben Grael e o argentino Mariano Parada, participarão da competição no conceito de one design, com veleiros idênticos que tem como objetivo destacar o talento de cada uma das tripulações na hora de definir o vencedor.

“O que torna a classe Soto 40 especial é que os barcos são completamente iguais. Nenhuma tripulação entra com vantagem de equipamento. Com isso, o trabalho das equipes é destacado”, explica Roberto Martins, do veleiro Carioca 25, que já conformou presença no mundial.

O chileno Horácio Pavez, do veleiro Acuario II Mitsubishi Motors, atual campeão da Semana de Vela do Chile, também destaca a competitividade da classe. “Teremos alguns dos melhores velejadores do mundo na competição. Com os barcos iguais, todas as equipes podem vencer”, explica o comandante.

Desenvolvido pelo renomado projetista argentino Javier Soto Acebal e construído no estaleiro MBoats, na Argentina, o veleiro S40 conta com tecnologia inovadora que trouxe um conceito revolucionário para a vela oceânica. Com linhas que são o resultado de um extenso estudo sobre a busca de velocidade e equilíbrio, construção fácil e vários componentes em fibra de carbono, o Soto 40 é a classe one design mais moderna da vela oceânica.

“É um veleiro bastante rápido, moderno e financeiramente muito atrativo. Ele não precisa de adaptações por parte das equipes, que conseguem disputar regatas em igualdade”, explica Mariano Parada, tático do veleiro argentino Patagonia e hexacampeão mundial de vela.

S40 é o mais moderno barco one design da vela oceânica | Crédito: Mathias Capizzano / Mitsubishi
S40 é o mais moderno barco one design da vela oceânica | Crédito: Mathias Capizzano / Mitsubishi

“O S40 traz uma sensação muito boa para a tripulação, além de ser muito veloz”, comenta o gaúcho Samuel Albrecht, do Crioula 29, tricampeão brasileiro de Oceano, que também garantiu presença. Devido a essas características, o veleiro é usado por equipes na Inglaterra, França, Alemanha, Portugal, Chile, Argentina e Brasil.

Características do veleiro:
Desenvolvido para encontrar a melhora relação entre velocidade e equilíbrio, o Soto 40 conta com uma série de diferenciais que o tornam um barco único na vela de oceano.

Casco – As quinas na popa e a geometria das seções verticais do casco propiciam controle e potência em altas velocidades. Com a aba na lateral, é possível colocar o peso da tripulação mais para fora e permitir que a escora fique mais eficiente e o barco mais potente. As principais marcas ficam por conta dos 12,3 metros de comprimento, somados aos 1,4 metros do gurupés – e dos 3,75 metros de extensão lateral máxima.

Convés – A geometria da coberta foi cuidadosamente estudada para permitir um espaço completo de trabalho na navegação. O S40 foi projetado com um convés aberto, sem cobertura- e um cockpit grande e profundo, com baixo centro de gravidade, contribuindo para que se tenha uma boa altura de trabalho na zona das catracas. Estas, por sua vez, foram reposicionadas com o intuito de melhorar o equilíbrio entre a proa e a popa (o uso do pedestal para as catracas não é permitido na classe).

Aparelhamento – Com mastro de carbono e retranca de alumínio, o S40 traz a seguinte configuração: duas adriças de tope para balão; uma adriça fracionada para balão, que também pode ser usada como segunda adriça de genoa; uma adriça de genoa; e uma adriça de grande.

Navegando no contravento, o S40 tem cerca de 100 metros quadrados de superfície de vela, com genoas sem sobreposição e mestra com tope quadrado (como na America´s Cup). Esta última traz maior eficiência ao plano de vela sem tornar o mastro muito alto. A tensão do estai de proa em condição de vento e onda é ajustada por dois estais volantes de popa.

Construção – O barco é de construção relativamente simples, com custos reduzidos e fácil medição, além do rigoroso controle de peso das diversas partes para seguir as regras da classe.

Casco e convés – A construção é em molde fêmea, com núcleo de espuma core-cell e resina epóxi aplicada a vácuo. A matriz recebe toda a estrutura interna e fica pronta para receber o convés.

Estrutura interna – A estrutura interna é construída no molde fêmea, com biaxiais de fibra de vidro tipo “E” e unidirecionais de fibra de carbono nos reforços. A estrutura é composta de longitudinais centrais, reforços de quilha e bancadas laterais, além de ter cavilhas e divisórias de interior tipo “L”.

Apêndices – A quilha e o leme têm alta relação de aspecto com perfis otimizados. O leme é oco, o que ajuda a manter o centro de gravidade mais baixo, permitindo agregar mais peso ao bulbo. Além disso, ele é profundo, construído em carbono/epóxi com seu extremo quase quadrado. Esta é uma área que trabalha muito nos ventos folgados e também em grandes ângulos de adernamento, por isso se optou por ganhar sustentação nesta zona crucial, apesar de incrementar a resistência.

FICHA TÉCNICA S40

Comprimento total: 12,3m
Boca máxima: 3,75m
Calado: 2,6m
Área Vélica: 100m²
Deslocamento: 4,2ton
Peso Máximo de Tripulação: 770kg
Projetista: Javier Soto Acebal
Material do Casco: Fibra de vidro e carbono

Credenciamento de Imprensa
O credenciamento de imprensa para o Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship pode ser feito por meio do imprensa@mmcb.com.br. Os interessados devem enviar o nome do veículo e os dados completos do jornalista.

Calendário Mitsubishi Motors Soto 40 World Championship

7 a 11/4 – Registro e vistoria
11/4 – Treino livre e briefing
12/4 – Primeira e segunda regatas
13/4 – Terceira e quarta regatas
14/4 – Quinta e sexta regatas
15/4- Sétima e oitava regatas
16/4 – Nona e décima regatas
16/4 – Premiação

Fonte: Mitsubishi Motors

Barcos da Volvo Ocean Race se aproximam do Cabo Horn

March 28, 2015. Leg 5 onboard Dongfeng Race Team. the last turn: "La dernière ligne courbe".
March 28, 2015. Leg 5 onboard Dongfeng Race Team. the last turn: “La dernière ligne courbe”.

As equipes que disputam a quinta etapa da Volvo Ocean Race se aproximam de um dos trechos mais significativos da regata: o Cabo Horn. O ponto mais ao Sul da América é a Meca dos velejadores de oceano e está no meio do caminho da etapa entre a Nova Zelândia e o Brasil. As condições de navegação ao redor do cabo são bastante complicadas, o que dá mais emoção ao feito.

“A expectativa é bem grande aqui a bordo do MAPFRE. Estamos próximos ao Cabo Horn em condições de ventos fortes, bastante onda e muito frio. Condições desagradáveis. Os cinco primeiros barcos estão próximos, com diferença pequena entre eles”, disse André ‘Bochecha’ Fonseca.

A previsão é que os barcos contornem o Cabo Horn nesta segunda-feira (30), mas é impossível dizer quem fará primeiro. A última parcial da manhã deste domingo (29) indicava a seguinte ordem: Team Alvimedica, MAPFRE, Dongfeng, Team Brunel e Abu Dhabi. A diferença do primeiro ao quinto era menor do que 15 quilômetros. Apenas o Team SCA, time formado só por mulheres, está mais distante do pelotão da frente.

March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard Team Alvimedica. Day 11. Fast downwind sailing conditions on deck. A few more gybes and the fleet commits east towards the Horn, satisfied for the time being that the southerly progress is sufficient.
March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard Team Alvimedica. Day 11. Fast downwind sailing conditions on deck. A few more gybes and the fleet commits east towards the Horn, satisfied for the time being that the southerly progress is sufficient.
March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard MAPFRE. Day 11. Early in the morning MAPFRE put down the main sail to fix one of the battens.
March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard MAPFRE. Day 11.
Early in the morning MAPFRE put down the main sail to fix one of the battens.
March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard Team Brunel. Day 11. Water on deck all the time.
March 29, 2015. Leg 5 to Itajai onboard Team Brunel. Day 11. Water on deck all the time.

Vila da Regata

A Vila da Regata de Itajaí será aberta na próxima sexta-feira (4) e a expectativa dos organizadores locais é atrair quase 300 mil pessoas até a largada da próxima etapa. Direto do barco, o catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca mandou seu recado. “A expectativa de chegar em Itajaí e no Brasil é muito grande. Sei que o pessoal da Vila da Regata está a todo vapor preparando tudo para a nossa chegada. Estamos aqui no MAPFRE dando o máximo para terminar numa boa posição a regata”.

Os barcos devem cruzar a linha de chegada no feriado de Páscoa. A quinta etapa da Volvo Ocean Race é a mais longa, fria e perigosa do evento, com mais de 12 mil quilômetros de travessia. A prova começou na semana retrasada em Auckland, na Nova Zelândia.

Fonte: Volvo Ocean Race

Flotilha Minuano vence a Regata Abertura da Temporada de Optimist

treinoflot

A flotilha Minuano mostrou sua força neste fim de semana na Regata Abertura da Temporada de Optimist. O Veleiros do Sul venceu na Veteranos com Tiago Quevedo e na Estreantes com Lucas Mendes Stolf e ainda garantiu boas colocações nas duas classes.

Veja os resultados:

Estreantes

Col

Categoria

Classe

Numeral

Clube

Timoneiro (a)

Nat

Reg 1
28/03

Reg 2
28/03

Reg 3
29/03

Reg 4
29/03

Total

Nett

1st Infantil Estreantes 3134 VDS Lucas Mendes Stolf
BRA
1.0 2.0 2.0 5.0 5.0
2nd Fem/Infantil Estreantes 3404 CDJ Bruna Haiml
BRA
3.0 1.0 4.0 8.0 8.0
3rd Mirim Estreantes 3390 VDS Leonardo Caminha
BRA
5.0 6.0 1.0 12.0 12.0
4th Infantil Estreantes 3213 VDS Francisco Ruschel
BRA
2.0 5.0 6.0 13.0 13.0
5th Mirim Estreantes 3526 VDS Erick de Mattos Carpes
BRA
4.0 3.0 7.0 14.0 14.0
6th Infantil Estreantes 3349 VDS Pedro Henrique Amine
BRA
13.0 DNF 4.0 3.0 20.0 20.0
7th Infantil Estreantes 3562 VDS Guilherme Santos
BRA
13.0 OCS 7.0 5.0 25.0 25.0
8th Infantil Estreantes 3406 VDS Germano Becker Santos
BRA
6.0 11.0 9.0 26.0 26.0
9th Mirim Estreantes 3217 VDS Alexandre Becker Santos
BRA
7.0 8.0 11.0 26.0 26.0
10th Infantil Estreantes 3242 CDJ Francisco Hagemann
BRA
13.0 DNF 9.0 8.0 30.0 30.0
11th Fem/Juvenil Estreantes 3498 CDJ Nina Ely Noé
BRA
8.0 12.0 10.0 30.0 30.0
12th Mirim Estreantes 3325 VDS Luan Dullius Martins
BRA
9.0 10.0 12.0 31.0 31.0

Veteranos

 

Col

Categoria

Classe

Numeral

Clube

Timoneiro (a)

Nat

Reg 1
28/03

Reg 2
28/03

Reg 3
29/03

Reg 4
29/03

Total

Nett

1st Juvenil Veteranos 3345 VDS Tiago Quevedo
BRA
2.0 1.0 1.0 4.0 8.0 8.0
2nd Juvenil Veteranos 3728 CDJ João Emilio
BRA
3.0 2.0 3.0 1.0 9.0 9.0
3rd Juvenil Veteranos 3634 CDJ Guilherme Plentz
BRA
5.0 6.0 4.0 3.0 18.0 18.0
4th Juvenil Veteranos 3757 CDJ João Tatsch
BRA
4.0 7.0 2.0 7.0 20.0 20.0
5th Juvenil Veteranos 3853
BRA
6.0 5.0 5.0 8.0 24.0 24.0
6th Juvenil Veteranos 3629 CDJ Giovanne Pistorello
BRA
1.0 8.0 13.0 6.0 28.0 28.0
7th Juvenil Veteranos 3890 CDJ Lorenzo Bernd
BRA
12.0 3.0 10.0 5.0 30.0 30.0
8th Juvenil Veteranos 3020 CDJ Vitor Paim
BRA
8.0 4.0 9.0 9.0 30.0 30.0
9th Juvenil Veteranos 3729 VDS Gabriel Lopes
BRA
7.0 18.0 DNF 7.0 2.0 34.0 34.0
10th Infantil Veteranos 3329 VDS Gabriel Rimoli
BRA
10.0 9.0 6.0 15.0 40.0 40.0
11th Infantil Veteranos 3560 CDJ Luiza Howes More
BRA
9.0 11.0 15.0 11.0 46.0 46.0
12th Feminino Veteranos 3882 CDJ Joana Ribas
BRA
13.0 10.0 11.0 13.0 47.0 47.0
13th Infantil Veteranos 3980 CDJ Gabriel Simões
BRA
11.0 12.0 14.0 12.0 49.0 49.0
14th Infantil Veteranos 3573 CDJ Lorenzo Balestrin
BRA
18.0 DNF 18.0 DNC 8.0 10.0 54.0 54.0
15th Fem/Juvenil Veteranos 3637 CDJ Isabel Coelho
BRA
18.0 DNF 18.0 DNC 12.0 14.0 62.0 62.0
16th Infantil Veteranos 3620 CDJ Rafael Rocha
BRA
14.0 13.0 18.0 DNC 18.0 DNC 63.0 63.0
17th Juvenil Veteranos 3859 CDJ Gabriel Kern
BRA
18.0 DNF 18.0 DNC 18.0 DNC 18.0 DNC 72.0 72.0

Fonte: Veleiros do Sul

 

Em busca do Hexa: Lars Grael disputa Brasileiro da classe Star

lars

Ícone do esporte brasileiro, o velejador Lars Grael disputará, mais uma vez, o Campeonato Brasileiro de Star 2015. O evento, marcado para o feriado de Páscoa, promete ser um dos mais equilibrados da história. Além do medalhista olímpico, outros campeões da modalidade estarão na raia do Yacht Club Paulista, incluindo Bruno Prada e Reinaldo Conrad. “O Campeonato Brasileiro de Star é um dos mais tradicionais da vela brasileira”, disse Lars Grael, que terá como proeiro Samuel Gonçalves. Os dois têm o objetivo de subir ao pódio novamente, depois da prata do ano passado em Brasília (DF).

Apenas o irmão dele, Torben Grael – atual campeão com Gustavo Almeida – tem mais conquistas na classe. O bicampeão olímpico foi medalha de ouro no Brasileiro de Star por sete vezes, incluindo uma como proeiro.

O velejador Lars Grael destacou a importância do campeonato ser realizado na Represa do Guarapiranga, em São Paulo (SP). “A represa da Guarapiranga é um dos berços da vel

Ícone do esporte brasileiro, o velejador Lars Grael disputará, mais uma vez, o Campeonato Brasileiro de Star 2015. O evento, marcado para o feriado de Páscoa, promete ser um dos mais equilibrados da história. Além do medalhista olímpico, outros campeões da modalidade estarão na raia do Yacht Club Paulista, incluindo Bruno Prada e Reinaldo Conrad. “O Campeonato Brasileiro de Star é um dos mais tradicionais da vela brasileira”, disse Lars Grael, que terá como proeiro Samuel Gonçalves. Os dois têm o objetivo de subir ao pódio novamente, depois da prata do ano passado em Brasília (DF).

Apenas o irmão dele, Torben Grael – atual campeão com Gustavo Almeida – tem mais conquistas na classe. O bicampeão olímpico foi medalha de ouro no Brasileiro de Star por sete vezes, incluindo uma como proeiro.

O velejador Lars Grael destacou a importância do campeonato ser realizado na Represa do Guarapiranga, em São Paulo (SP). “A represa da Guarapiranga é um dos berços da vela brasileira e local de formação de grandes velejadores nacionais como Robert Scheidt, Alex Welter, Reinaldo Conrad e Jorg Bruder”.

A primeira flotilha de Star na Guarapiranga foi a Flotilha São Paulo (SP) que foi oficializada pela ISCYRA em 1949. Posteriormente em 1960, fundou-se a Flotilha Guarapiranga (GuB).

Serviço

Local: Yacht Club Paulista

Endereço: Estrada do Itupu, 1077- Chácara Vista Alegre – Guarapiranga – São Paulo

Horários: As regatas da série estão programadas para as 14h para o dia da estreia. No sábado (4) serão às 13h e no domingo (5) às 12h.

O Campeonato Brasileiro de Star 2015 tem organização da ARNOVA Design Thinkers, Yacht Club Paulista – YCP, 7º distrito da Classe Star e Confederação Brasileira de Vela – CBVELA. Os apoiadores são Wine, Água Mineral Frescca, Fogo de Chão, Santa Constancia, Honey Stinger.a brasileira e local de formação de grandes velejadores nacionais como Robert Scheidt, Alex Welter, Reinaldo Conrad e Jorg Bruder”.

A primeira flotilha de Star na Guarapiranga foi a Flotilha São Paulo (SP) que foi oficializada pela ISCYRA em 1949. Posteriormente em 1960, fundou-se a Flotilha Guarapiranga (GuB).

Fonte: OnBoard Sports

Encontrado o local do tesouro do restaurador de veleiros

Camou 1

Andando pelas lojas de venda de produtos náuticos na região de San Isidro – Buenos Aires – Argentina, a procura de uma capa para meu Raymarine ST60, me indicaram um brechó, a Camou-Nautica (Endereço: España 1095 – 1642 – San Isidro – Tel: 4743-7205 – e-mail: camounautica@hotmail.com).

Fui para o local, uma casa que não chama a mínima atenção, na qual nunca teria parado não fosse o endereço em mãos, em uma rua pacata, onde existem uma série de velerias e pequenos estaleiros produzindo também pequenos veleiros.

Ao entrar; Choque! … A loja estava abarrotada de tudo o que você possa imaginar para reformar um veleiro, seja seu veleiro novo ou um clássico de madeira.

Camou 2 Camou 3 Camou 4

Não vou me alongar neste texto pois fiquei tão impressionado que, com autorização dos proprietários, tirei 60 fotografias que reproduzo abaixo.

Divirta-se procurando nas fotos aquela peça de que tanto precisa!

Bons ventos!

Max Gorissen

Camou 5 Camou 6 Camou 7 Camou 8 Camou 9 Camou 10 Camou 11 Camou 12 Camou 13 Camou 14 Camou 15

Camou 16 Camou 17 Camou 19 Camou 20 Camou 21 Camou 22 Camou 23 Camou 24 Camou 25 Camou 26 Camou 27 Camou 28 Camou 29 Camou 30 Camou 31 Camou 32 Camou 33 Camou 34 Camou 35 Camou 36 Camou 37 Camou 38 Camou 39 Camou 40 Camou 41 Camou 42 Camou 43 Camou 44 Camou 45

Camou 46 Camou 47 Camou 48 Camou 49 Camou 50 Camou 51 Camou 52 Camou 53 Camou 54 Camou 55 Camou 56 Camou 57 Camou 58 Camou 59 Camou 60

O Informativo do Velejador Brasileiro.