America's Cup World Series inicia em Portsmouth

DCIM105GOPRO

A primeira etapa da America’s Cup World Series foi confirmada para Portsmouth, Inglaterra, com regatas acontecendo nos dias 25 e 26 de julho de 2015.

O evento completo em Portsmouth acontecerá de 23 de julho a 26 de julho, com uma grande variedade de atividades programadas no porto de origem do desafiante (challenger) britânico, BAR – Ben Ainslie Racing.

O evento em Cagliari na Itália, inicialmente previsto para acontecer em junho, foi cancelado após o anúncio da equipe Luna Rossa, o challenger italiano, de que se retira da America´s Cup.

Desta forma, a America’s Cup World Series em 2015 consistirá dos seguintes eventos:

Portsmouth, Grã-Bretanha – de 23 a 26 de julho de 2015

Gotemburgo, Suécia – de 28 a 30 de agosto de 2015

Hamilton, Bermuda – de 16 a 18 de outubro de 2015

 

Texto traduzido e adaptado do Press Release/ site oficial por: Maximilian Gorissen – Full Member – Yachting Journalist´s Association – UK

Maiores informações no site oficial da 35ª America’s Cup: www.americascup.com

Cruzeiro Encontro das Ilhas | Inscrições abertas

Encontro-das-Ilhas-Logotipo-2015

O Encontro das Ilhas, programado para o dia 18 a 21 de abril de 2015,  é organizado pela Associação dos Velejadores de Cruzeiro (ABVC) e tem como objetivo propiciar a reunião de velejadores de Santos, Ilhabela e Ubatuba em um dos poucos locais de ancoragem entre Ilhabela e Santos: As Ilhas.

Serão duas flotilhas, uma partindo de Santos e outra partindo de Ubatuba/Ilhabela em um passeio de 3 a 4 dias com pernoite no veleiro.

As Ilhas

Apesar do nome no plural corresponde a uma única ilha que fica localizada no meio do caminho entre Ilhabela e Bertioga, a uma milha náutica da Barra do Sahy e da Praia Preta. Possui duas belas praias, geralmente com águas muito transparentes. Tão claras que em noite de lua cheia é possível ver o fundo de areia somente com a claridade da lua. Nos finais de semana é comum ver diversas lanchas ancoradas nas suas praias.

Este vídeomostra uma bela visão desta região:

 

AsIlhas-satelite

A tabela a seguir mostra a distâncias entre As Ilhas e algumas localidades:

Local

Distância

As Ilhas – Santos (Ponta da Praia)

42 Mn

As Ilhas – Bertioga (Barra do Canal de Bertioga )

24 Mn

As Ilhas – Ilhabela (Centro histórico)

22 Mn

As Ilhas – Ubatuba (Saco da Ribeira)

46 Mn

 

Programação preliminar

A programação inicial do Encontro das Ilhas está apresentada a seguir, sendo que o evento pode ser adiado para o próximo fim de semana caso as condições de tempo e navegação não sejam favoráveis.

Programação – Flotilha de Santos (* sujeito a alteração)

Dia

Hora

Evento

18/abr

(Sab)

08h00 – 09h00

Distribuição dos kits e recebimento dos documentos

09h00 – 09h30

Reunião dos comandantes

09h30

Partida de Santos
Ancoragem e pernoite em local a ser definido na reunião dos comandantes

19/abr

(dom)

06h00

Partida rumo ao Montão de Trigo e As Ilhas
Montão de Trigo e As Ilhas
Ancoragem e pernoite nas Ilhas

20/abr

(seg)

06h00

Partida em direção à Santos com parada opcional em alguma praia no percurso

21/abr

(ter)

Dia reservado (contingência)

 

 

Programação – Flotilha de Ubatuba/Ilhabela

Dia

Hora

Evento

18/abr

(Sab)

08h00 – 09h00

Distribuição dos kits e recebimento dos documentos

09h00 – 09h30

Reunião dos comandantes

09h30

Partida de Ubatuba
Ancoragem em Ilhabela e pernoite em local a ser definido

19/abr

(dom)

06h00

Partida rumo ao Montão de Trigo
Montão de Trigo e as Ilhas
Ancoragem e pernoite nas Ilhas

20/abr

(seg)

06h00

Partida em direção à Ilhabela
Ilhabela

21/abr

(ter)

06h00

Partida rumo a Ubatuba
Chegada à Ubatuba

Ação social

A organização arrecadará produtos não perecíveis para serem entregues, durante o ENCONTRO, à comunidade que vive na Ilha Montão de Trigo

Elegibilidade

O comandante da embarcação deve ser associado da ABVC.

A participação no Encontro das Ilhas está aberta para veleiros a partir de 23 pés de comprimento e devidamente inscritos na Autoridade Marítima. Veleiros menores podem ser aceitos mediante atendimento de condições especiais (conforme regulamento do Encontro).

Não será permitida a inscrição em solitário por motivos de segurança.

Inscrições

Será obrigatória a inscrição das embarcações e tripulantes para participar do Encontro. A inscrição do tripulante dará direito à camiseta do Encontro.

Criança com até 12 anos são isentas de pagamento e não tem direito à camiseta do evento.

Categoria

Inscrições realizadas até 12/abr

Inscrições realizadas após 12/abr

Associado ABVC

R$ 20,00

R$ 30,00

Não associado

R$ 40,00

R$ 50,00

Acrescentar R$ 9,00 de taxa do boleto.

INSCRIÇÕES: clique aqui

Regulamento: clique aqui

Fonte: ABVC

Com 'brasileira' a bordo, Team SCA fecha etapa mais dura da regata

April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.
April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.

Barco feminino Team SCA, com Carolijn Brouwer, completou a quinta perna da Volvo Ocean Race nesta terça-feira (7). Meninas foram recebidas com muitas rosas em Itajaí após mais de 12 mil quilômetros de travessia

Festa rosa, verde e amarela na chegada do Team SCA, barco 100% feminino, ao Brasil. A equipe sueca completou, na manhã desta terça-feira, a quinta etapa da Volvo Ocean Race – entre Auckland e Itajaí – em 20 dias, 17 horas e 52 minutos. Com a bandeira do Brasil, a holandesa Carolijn Brouwer, uma das 12 heroínas do barco, estava emocionada com a recepção. Brasileira de coração, por ter morado no país por 14 anos, a atleta olímpica reconheceu as dificuldades da etapa, que passou pelos mares gelados do Sul e contornou o Cabo Horn antes de parar em Santa Catarina. “É muito lindo voltar ao Brasil e ser recebida com tanto carinho. É sempre bom estar aqui, pois as pessoas são sempre sorridentes. Será a melhor parada de todas, vamos adorar essa estadia”, disse Carolijn Brouwer com seu filho pequeno Caio nos braços. “Quero comer uma feijoada e tomar uma caipirinha. Merecemos! A etapa foi muito desgastante e dura. A gente sabia que seria uma perna que iria exigir da parte física”.

April 7, 2015. Team SCA crew celebrates on stage the arrival to Itajaí.
April 7, 2015. Team SCA crew celebrates on stage the arrival to Itajaí.
April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.
April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.

As meninas sobreviveram às dificuldades. Além das condições climáticas adversas, como ventos acima de 40 nós e ondas gigantes, as velejadoras tiveram de controlar o barco em manobras arriscadas e tiveram problemas com algumas quebras.

“Pegamos muitos ventos e ondas. O barco ficou danificado, é claro, por isso a prioridade foi chegar bem a Itajaí e com o barco inteiro”. A equipe feminina de Carolijn Brouwer terminou a regata na quinta posição e soma 29 pontos perdidos na classificação geral.

O Team SCA tem uma relação especial com o Brasil. Além de Carolijn Brouwer, a equipe conta com o treinador Joca Signorini. O velejador carioca é o brasileiro com o maior número de participações na Volvo Ocean Race, três como atleta e agora como coach. “O fator experiência é o mais importante na regata de Volta ao Mundo. A última vez de um barco feminino foi em 2001-02, por isso as meninas fizeram uma boa regata”, disse o brasileiro Joca Signorini.

April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.
April 7, 2015. Leg 5 Arrivals in Itajaí; Team SCA arrive in fifth place.

O treinador brasileiro aprovou o desempenho das meninas em uma perna complicada e inóspita. “Nosso objetivo era terminar a etapa sem prejuízos. É muito difícil essa perna e invariavelmente ocorrem quebras. Elas enfrentaram bem esse desafio”.

Joca Signorini estreou com o Brasil 1 em 2005-06 e na edição seguinte foi campeão com o Ericson. Depois correu no Telefónica e hoje é técnico no Team SCA.

A quinta etapa da Volvo Ocean Race foi vencida pelo Abu Dhabi Ocean Racing, seguido por MAPFRE, Team Alvimedica e Team Brunel. Falta a chegada do chinês Dongfeng, que suspendeu a regata após quebrar o mastro antes de dobrar o Cabo Horn.

Fonte: Volvo Ocean Race

Palestra "Roteiros Náuticos da Costa Brasileira"

Ilhabela04

A ABVC – Associação Brasileira de Velejadores de Cruzeiro, com o apoio da Escola de Vela Oceânica Cusco Baldoso promoverá uma palestra na próxima quarta-feira, 15/04/2015 às 19h30 com o navegador Hélio Magalhães, com o tema Roteiros Náuticos da Costa Brasileira.

Hélio, que se orgulha de viver do mar e no mar há mais de trinta anos, irá falar sobre suas experiências e sobre seu recém lançado guia: Santos – Rio: Um roteiro pelo mar.

capa

A entrada é franca. Pedimos apenas a doação de um quilo de alimento não perecível, em especial leite em pó. As doações serão entregues à comunidade que vive na Ilha do Montão de Trigo durante o minicruzeiro Encontro das Ilhas promovido pela ABVC.

O local da palestra é em Santos e tem facílimo acesso: Rua José Cabalero, n. 15, no Gonzaga (Smartcenter).

Participem!

Bons ventos,

Juca Andrade
VP ABVC Santos

Nova America's Cup Class objetiva redução de custos para 2017

m379_crop169014_1024x576_proportional_14280146291BD1

As equipes já inscritas na America´s Cup concordaram em estudar alterações destinadas a reduzir de maneira significativa os custos da competição em 2017.

O principal ponto de discussão destas mudanças é a introdução de uma nova classe de veleiros catamarãs, os America´s Cup Class, com velas do tipo Asa e limitados no tamanho entre 45 e 50 pés.

Está claro para a maioria das equipes de que o custo atual para uma equipe poder participar da America´s Cup é muito alto, principalmente no tocante aos altamente tecnológicos catamarãs, então, em consenso, decidiram que a maneira mais sensata de se reduzir custos é mudar estes catamarãs.

35th America's Cup - Venue Announcement Press Conference - New York (NY), 02/12/2014, Ben Aainslie (Ben Ainslie Racing)
35th America’s Cup – Venue Announcement Press Conference – New York (NY), 02/12/2014, Ben Aainslie (Ben Ainslie Racing)

“A America´s Cup, como na Fórmula 1, tem de ser uma corrida do design, ao mesmo tempo em que é uma corrida na água”, observou Ben Ainslie, o chefe da equipe BAR – Ben Ainslie Racing. “Isso sempre foi parte do apelo da Copa. Isso é o que atrai alguns dos melhores engenheiros do mundo, pessoas como Adrian Newey, que mostrou uma verdadeira paixão pelo desafio do design da America´s Cup”.

35th America's Cup - Venue Announcement Press Conference - New York (NY), 02/12/2014, Jimmy Spithill, (Oracle Team Usa)
35th America’s Cup – Venue Announcement Press Conference – New York (NY), 02/12/2014, Jimmy Spithill, (Oracle Team Usa)

“Isso não foi um processo fácil”, admitiu Jimmy Spithill, capitão do ORACLE TEAM USA. “As equipes estabelecidas, incluindo nós mesmos, estavam praticamente finalizando a concepção do AC62. Mas existe algo bem maior a se considerar. Precisávamos reduzir os custos, mas tínhamos de respeitar o componente de design do evento, que sempre foi um dos maiores desafios para se vencer uma America´s Cup”.

As economias que os competidores irão realizar já nesta edição da Copa, podem gerar a entrada de novos competidores, com pelo menos uma equipe potencial da Ásia em vias de confirmar e outras equipes internacionais ainda considerando as suas opções.

35th America's Cup - Venue Announcement Press Conference - New York (NY), 02/12/2014, Franck Cammas (Team France)
35th America’s Cup – Venue Announcement Press Conference – New York (NY), 02/12/2014, Franck Cammas (Team France)

“Para ser um sucesso global, a America´s Cup precisa ser acessível para as melhores equipes, não apenas às maiores e mais ricas”, disse Franck Cammas, o capitão da equipe TEAM FRANCE. “Portanto, temos de realizar estas mudanças.”

“Embora seja verdade de que existem alguns críticos deste movimento, temos de nos ajustar ao momento. Esta é uma regra que mantém o essencial da America´s Cup; o desafio do design, o esporte, o espetáculo atlético, contudo, sem um custo proibitivo “, disse o medalhista olímpico Roland Gaebler que tem trabalhado para estabelecer um desafiante Alemão. “Meu foco estava na próxima America´s Cup, contudo, com estas mudanças, podemos ser capazes de antecipar nossa campanha.”

As mudanças nas regras foram aprovadas pelo voto da maioria do Fórum de Competidores, compostos pelas seis equipes atualmente inscritas na America´s Cup. Um protocolo atualizado e uma nova Regra da Classe foram publicados semana passada.

A maioria das equipes também já indicaram uma preferência para que todas as regatas em 2017 sejam realizadas em um único local: Bermuda.

Desenrolar da Decisão:

Ainda não confirmado, após concordar durante o Fórum dos Competidores com a redução de custos e o tamanho dos catamarãs, a equipe Luna Rossa, informou através de um comunicado na mídia, apesar de não formalmente ao Americas Cup, sua decisão de abandonar a competição.

Aparentemente, a equipe Luna Rossa não estava preparada a aceitar a decisão da maioria, conforme estabelecido nas regras do evento.

35th America's Cup, Skippers presentation press conference, London (UK), 09 Sept. 2014.Iain Percy (Artemis Racing)
35th America’s Cup, Skippers presentation press conference, London (UK), 09 Sept. 2014.Iain Percy (Artemis Racing)

“É difícil entender essa retirada quando o propósito comum tem sido o de controlar as despesas, incentivar entradas adicionais e construir um futuro melhor para a Copa. É ainda mais intrigante já que foi a equipe Luna Rossa que insistiu usar a regra da maioria nestas questões.

“Contudo, olhando para a foto maior, a America´s Cup está agora mais acessível para novas equipes e com uma nova geração de pessoas como Ben Ainslie, Nathan Outteridge, Jimmy Spithill, Franck Cammas e Peter Burling temos uma base sólida para um evento muito competitivo.”, disse o Sr. Harvey Schiller, Commercial Commissioner.

Aparentemente, a equipe Team New Zealand, também não está confortável com as mudanças… aguardem o desenrolar desta história.
Texto traduzido e adaptado do Press Release/ site oficial por: Maximilian Gorissen – Full Member – Yachting Journalist´s Association – UK

A SailBrasil, continuará noticiando as competições da America’s Cup World Series em 2015 e 2016, a Youth America’s Cup e a America’s Cup Qualifiers em 2016 e, por fim, a America’s Cup Challenger Playoffs e Match (Semi-final e final) em 2017, trazendo sempre ao velejador Brasileiro as últimas notícias da America’s Cup.

Entenda como será a 35ª America´s Cup: http://www.sailbrasil.com.br/jornal/?p=2335.


 

A America’s Cup (nome do evento e do troféu) é o troféu mais antigo do esporte internacional, tendo sido entregue à escuna de nome América em 1851, após derrotar as melhores escunas da frota britânica em uma regata ao redor da Ilha de Wight. O troféu, entregue naquele dia, foi “dado em confiança” através de uma “Ação de fidúcia” (Deed of Gift) e, desde então, se tornou um dos maiores símbolos de conquista do mundo dos esportes.

A America’s Cup está atualmente sob a guarda do Golden Gate Yacht Club de San Francisco que, em 25 de setembro de 2013, através da sua equipe, a ORACLE TEAM USA, conseguiu o maior feito de recuperação na história de qualquer esporte (leia as notícias da AC 2013 postadas neste NEWS na época), para ter o direito de manter o troféu que tinha recuperado para os USA em 2010.

Site oficial: www.americascup.com

Joao Augusto Hackerott do YCSA garante mais um ouro no Rio de Janeiro

oão Hackerott - YCSA - Campeão do Sudeste Brasileiro de Laser Radial 2015
oão Hackerott – YCSA – Campeão do Sudeste Brasileiro de Laser Radial 2015

Feriado da Páscoa teve Sudeste Brasileiro de Laser no Iate Clube do Rio de Janeiro.

O Iate Clube do Rio de Janeiro sediou mais um campeonato de Laser no ano de 2015, válido para as categorias Standard, Radial e 4.7.

A 35ª edição do Sudeste Brasileiro da classe aconteceu de 03 a 05 de Abril e levou 48 velejadores para a raia carioca no feriado prolongado da Páscoa.

O Yacht Club Santo Amaro teve dois representantes. Um deles foi o campeão na categoria Radial e garantiu mais um ouro para São Paulo em 2015. João Hackerott, que já tinha sido campeão brasileiro em Janeiro, disputou seis regatas e conquistou o primeiro lugar, seguido por Ricardo Luz Bittencourt do ICRJ em segundo lugar (campeão na categoria Sub-19) e Pedro Matos Castro do CNC que ficou com o bronze geral e a prata na categoria Sub-19.

Elisa von Fritsch - YCSA - 4ª Colocada na categoria Sênior Feminina - Sudeste Brasileiro de Laser 4.7 2015
Elisa von Fritsch – YCSA – 4ª Colocada na categoria Sênior Feminina – Sudeste Brasileiro de Laser 4.7 2015

A outra velejadora do YCSA, Elisa von Fritsch, representou as meninas na categoria 4.7 no seu primeiro campeonato pela classe Laser, e dentre 14 competidores, garantiu o 4º lugar na categoria Sênior Feminino. Elisa que já compete pela Audi YCSA Sailing Team na classe 420, e foi vice-campeã brasileira feminina da classe em 2014, ao lado de Giuliana Tozzi, e também vice-campeã da Copa da Juventude ao lado de Helena De Marchi.

82

Fotos registradas por Fred Hoffmann.

Clique aqui para acessar as súmulas finais.

Fonte: YCSA

Números comprovam etapa histórica da Volvo Ocean Race no Brasil

April 05, 2015. Crowds in the Volvo Ocean Race Village in itajaí to welcome the teams.
April 05, 2015. Crowds in the Volvo Ocean Race Village in itajaí to welcome the teams.

A Volvo Ocean Race desembarcou no Brasil e as previsões se concretizaram: festa e carinho do público de Itajaí (SC), Vila da Regata lotada e velejadores cansados e sedentos por comida e banho quente após uma prova longa e decidida nos quilômetros finais. Mais emoção prevista para terça-feira com a chegada do Team SCA, barco 100% feminino.

A maior regata do mundo parou na cidade catarinense pela segunda vez e, só no primeiro fim de semana do megaevento esportivo, quase 70 mil pessoas foram assistir a chegada dos barcos, incluindo nos molhes de Itajaí e Navegantes. A previsão é que até o dia 19 de abril – data da largada para Newport – mais de 300 mil pessoas se envolvam com a regata.

Depois de 12 mil quilômetros pelos mares do Sul, Cabo Horn e icebergs, os atletas ficaram impressionados com a recepção dos brasileiros. Porém, quem ganhou mais atenção foi o catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca, que integra o MAPFRE, segundo colocado na quinta etapa. “Foi uma das maiores emoções que senti. Foi indescritível”.

O vencedor foi da etapa foi Abu Dhabi, que lidera a competição no geral. A equipe cruzou a linha de chegada neste domingo (5). Menos de uma hora depois apareceram MAPFRE, Team Alvimedica e Team Brunel. “Foi a melhor etapa de todas. Apesar de muitos problemas com pequenas quebras, foi a perna que mais me diverti”, Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel.

April 05, 2015. MAPFRE arrive in second position of Leg 5 from Auckland to Itajaí.
April 05, 2015. MAPFRE arrive in second position of Leg 5 from Auckland to Itajaí.

Números
20.000 pessoas nos molhes de Itajaí e Navegantes
49.748 pessoas na Vila da Regata em apenas três dias
Objetivo é chegar a 300.000 mil pessoas
Itajaí tem 203.000 habitantes

Tempo total do percurso de Auckland até Itajaí
Abu Dhabi Ocean Racing – 18 dias, 23 horas e 30 minutos
MAPFRE – 19 dias e 02 minutos
Team Alvimedica – 19 dias e 24 minutos
Team Brunel – 19 dias e 25 minutos

549 milhas velejadas em 24 horas pelo Abu Dhabi – recorde de velocidade desta edição da Volvo Ocean Race

Quem falta chegar?
Team SCA – previsto para terça-feira (7)
Dongfeng – quebrou o mastro e se dirige a Itajaí com motor ligado

Classificação
Abu Dhabi Ocean Race – 9 pontos perdidos
Dongfeng Race Team – 16 pontos perdidos
Team Brunel – 18 pontos perdidos
MAPFRE – 18 pontos perdidos
Team Alvmedica – 19 pontos perdidos
Team SCA – 24 pontos perdidos

Atenção, tem mais barco chegando
O Team SCA está previsto para chegar já nesta terça-feira pela manhã, entre 7h e 9h.

Fonte: Volvo Ocean Race

12 mil km e nem uma hora de diferença na chegada ao Brasil

April 05, 2015. MAPFRE arrive in second position of Leg 5 from Auckland to Itajaí. Brasilian Andre Fonseca, aka Bochecha, celebrates with the country flag.
April 05, 2015. MAPFRE arrive in second position of Leg 5 from Auckland to Itajaí. Brasilian Andre Fonseca, aka Bochecha, celebrates with the country flag.

A história da vela oceânica mundial foi escrita neste domingo (5) de Páscoa. Pela primeira vez, a etapa mais longa da Volvo Ocean Race – quase 13 mil quilômetros entre a Nova Zelândia e o Brasil – foi decidida nos detalhes. Os quatros barcos que chegaram à cidade catarinense terminaram a prova muito próximos, menos de uma hora entre eles. A vitória foi do Abu Dhabi e o público se emocionou com a conquista do brasileiro e catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca.

A quinta etapa da Volvo Ocean Race será impossível de tirar da memória. A vitória do Abu Dhabi, a diferença mínima entre os barcos, um brasileiro a bordo, recorde de milhas velejadas, Cabo Horn, icebergs, frio e quebras…Ufa…Serão necessários vários parágrafos para contar toda a história da perna entre Auckland e Alicante. Vamos resumir os fatos:

Árabes venceram

O Abu Dhabi, barco árabe comandado por medalhista olímpico Ian Walker, cruzou a linha de chegada da quinta etapa da Volvo Ocean Race em primeiro lugar, depois de 18 dias 23 horas e 30 minutos. Pouco tempo depois – exatos 55 minutos – chegaram MAPFRE, Team Alvimedica e Team Brunel. A equipe abriu sete pontos na liderança do campeonato e ainda quebrou o recorde de milhas velejadas em 24 horas – 550,8 milhas náuticas.

April 05, 2015. Abu Dhabi Ocean Racing, winner of Leg 5 arriving to Itajaí.
April 05, 2015. Abu Dhabi Ocean Racing, winner of Leg 5 arriving to Itajaí.

“Foi uma etapa dura e desgastante! Um final apertado e os barcos ficaram próximos do começo até o fim da regata. Resultado do ótimo desempenho da nossa tripulação no percurso. O segredo dos barcos de design único é velejar bem. Se fizer tudo direito dá tudo certo”, disse Ian Walker, comandante do Abu Dhabi Ocean Racing.

Na edição passada, o Abu Dhabi não chegou em Itajaí por problemas na embarcação, mas dessa vez deram a volta por cima, vencendo e convencendo. A melhor notícia é que a equipe árabe lidera a competição com sete pontos de diferença para o segundo colocado.

O próximo barco a chegar será o Team SCA, equipe 100% feminina. O Dongfeng também é esperado, mas eles quebraram o mastro e estão voltando a motor.

Um novo ídolo nacional

Recebido como herói, o brasileiro André ‘Bochecha’ Fonseca conduziu o barco MAPFRE nos momentos finais. “Bochecha..Bochecha…Bochecha…gritavam os torcedores que lotaram a Vila da Regata na Páscoa. A emoção maior foi quando o velejador mostrou a bandeira do Brasil e de Santa Catarina. “Foi incrível essa recepção. Não sei como retribuir o carinho do público. Fizemos um resultado especial e mostramos nossa evolução na Volvo Ocean Race”, disse o atleta olímpico.

Milhares de pessoas lotaram a Vila da Regata e os molhes de Itajaí e Navegantes para ver a chegada do Bochecha. Mas ele tinha a torcida particular da família com camisetas do MAPFRE e o número 12 nas costas. O vice-campeão da etapa desejou um churrasco e um banho quente como presentes de herói. “Estamos esgotados. Mas se alguém perguntar pra todos se faríamos tudo outra vez agora, a resposta seria sim”.

O comandante Iker Martínez fez questão de homenagear o brasileiro. “Estamos todos contentes por chegar no Brasil. E homenageamos o Bochecha, que chegou em casa conduzindo o barco”, lembrou o campeão olímpico. O MAPFRE, apesar do segundo lugar, enfrentou dificuldades e problemas a bordo. “O resultado foi ótimo e conseguimos dois pódios nas última regatas. Mas confesso que o jibe chinês foi a coisa mais assustadora que passei. Vou lembrar daquele momento por toda a vida”.

Os velejadores ganham um descanso nos próximos dias antes de voltar aos treinos na semana que vem. No sábado (18), está marcada a In-port Race de Itajaí. No dia seguinte, as equipes sobem o Oceano Atlântico para Newport, nos Estados Unidos.

O que eles disseram

“Eu nunca vi uma recepção como essa. Impressionante tanta gente nos esperando. Espero que a minha cidade – Newsport – faça o mesmo”, Charles Enright, comandante do Team Brunel.

April 05, 2015. MAPFRE cross the Leg 5 finish line in Itajaí (BRA) in second place.
April 05, 2015. MAPFRE cross the Leg 5 finish line in Itajaí (BRA) in second place.

“Bater o recorde de milhas velejadas em 24 horas foi uma mistura de sorte com pouca mudança de vela. Pegamos um vento constante e um rumo perfeito. Quando percebi essa possibilidade avisei minha equipe para acelerar”, Ian Walker, comandante do Abu Dhabi.

“Chegar no Brasil é especial. Participei do Brasil 1 e tenho um carinho especial pelo país”, Chunny Bermudez, tripulante do Abu Dhabi.

April 05, 2015. Abu Dhabi Ocean Racing approaching Itajaí (BRA)

“Foi uma perna difícil. Estou feliz por chegar ao Brasil, mas não gostei de ter terminado na quarta colocação”, Bouwe Bekking, comandante do Team Brunel.

“Melhoramos muito, mas acho que será difícil pegar o Abu Dhabi na liderança”, André ‘Bochecha’ Fonseca, timoneiro do MAPFRE.

Fonte: Volvo Ocean Race

Dante Bianchi e Thomas Low-Beer são bronze no Troféu Princesa Sofia

dante-thomas
A dupla formada por Dante Bianchi e Thomas Lowbeer conquistou neste sábado a medalha de bronze na classe 49er, no tradicional Troféu Princesa Sofia, em Palma, na Espanha. Os velejadores brasileiros ficaram na terceira posição na regata de medalha e garantiram um lugar no pódio, deixando os dinamarqueses Jonas Warrer e Anders Thomsen, líderes do ranking mundial, em quarto lugar.
“Estamos mais do que contentes, pois esse resultado, acima das expectativas iniciais, nos mostra que estamos no caminho certo”, vibrou Dante Bianchi.
O Brasil também esteve representado em mais duas classes nas regatas de medalha.
Na 49er FX, as campeãs mundiais Martine Grael e Kahena Kunze terminaram na quarta colocação na classificação final, após terem ficado em terceiro lugar na prova deste sábado.
Na 470 feminino, Fernanda Oliveira e Ana Barbachan acabaram o Troféu Princesa Sofia na quinta colocação, depois de terem completado a regata de medalha em sétimo lugar.
O próximo compromisso internacional da equipe principal de vela do Brasil é a etapa francesa da Copa do Mundo de Vela, disputada em Hyères, de 20 a 26 de abril.
Confira as classificações finais após as regatas de medalha:
Classe 49er:
1) Peter Burling/ Blair Tuke (Nova Zelândia), 50 pontos perdidos
2) Erik Heil/ Thomas Ploessel (Alemanha), 68 pp
3) Dante Bianchi/ Thomas Lowbeer (BRASIL), 87 pp
Classe 49er FX:
1) Maiken Foght Schütt/ Anne-Julie Foght Schütt (Dinamarca), 69 pontos perdidos
2) Ida Marie Baad Nielsen/ Marie Thuagaard Olsen (Dinamarca), 99 pp
3) Olivia PRICE/ Eliza SOLLY (Austrália), 100 pp
4) Martine Grael/ Kahena Kunze (BRASIL), 106 pp
Classe 470 (feminino):
1) Jo Aleh/ Polly Powrie (Nova Zelândia), 30 pontos perdidos
2) Camille Lecointre/ Helene Defrance (França), 33 pp
3) Hannah Mills/ Saskia Clark (Grã-Bretanha), 45 pp
5) Fernanda Oliveira/ Ana Barbachan (BRASIL), 53 pp
Mais informações sobre a competição: 
Fonte: CBVela

O Informativo do Velejador Brasileiro.