Ginga se aproxima do terceiro título brasileiro da Classe HPE 25

Barco com tripulação de Ilhabela soma três vitórias em seis regatas e possui seis pontos de vantagem sobre o segundo colocado Phoenix; regatas finais neste domingo (18)

Rio de Janeiro (RJ) – As duas regatas deste sábado marcaram um acirrado duelo entre Ginga (Ilhabela) e Phoenix (Guarapiranga) na Baía de Guanabara pelo Campeonato Brasileiro da Classe HPE 25. Ginga venceu a primeira com cinco segundos de vantagem sobre Phoenix. Na segunda prova as colocações se inverteram. Tchouri e 14 Bis, ambos do Iate Clube do Rio de Janeiro, sede do evento, foram os terceiros colocados.

sbnews-foto-20181117-02
Dom e Phoenix (José Olímpio / ICRJ)

O vento variou de sul a sudoeste entre 7 e 11 nós, levando a Comissão de Regatas a organizar as largadas em frente à Escola Naval. Com 27 barcos na raia, Ginga venceu a primeira prova de ponta a ponta. Condição repetida pelo Phoenix na segunda regata. Na disputa pelo segundo lugar, Ginga, 14 Bis e Take Ashauer chegaram praticamente juntos na linha de chegada, mas Take Ashauer acabou penalizado pelos juízes por manobra considerada irregular.  

O Ginga chegou à terceira vitória em seis regatas, contra duas do Phoenix e uma do 14 Bis. O barco de Ilhabela precisa de mais uma vitória nas duas provas finais deste domingo (18) para chegar ao terceiro título brasileiro. Venceu em 2011 e 2013, ambos em Ilhabela. O Phoenix é o atual campeão e o 14 Bis ganhou em 2016, com o nome de Rio Sail Tech.

sbnews-foto-20181117-03
Ginga segue à frente (José Olímpio / ICRJ)

Com o descarte do pior resultado, incluído neste sábado a partir da quinta regata, vários barcos evoluíram na classificação geral do campeonato. “A flotilha está muito competitiva. Teremos de velejar com seriedade e cautela no último dia. O Phoenix está muito bem e não permite que a gente relaxe um só minuto. Esse tipo de disputa eleva a classe ao melhor nível possível”, afirmou o comandante do Ginga, Breno Chvaicer.

sbnews-foto-20181117-04
Phoenix pede passagem (José Olímpio / ICRJ)

A preocupação no Phoenix, maior rival do Ginga, é evitar situações que possam provocar penalidades. O barco de Eduardo Souza Ramos já descartou os 30 pontos perdidos pelo abandono da primeira regata após avaria de equipamento e não poderá se livrar de um eventual segundo mau resultado. A situação é a mesma para o terceiro colocado 14 Bis. O Ginga por enquanto está descartando um oitavo lugar, a exemplo do Bond Girl, que ocupa a quarta posição.

“Teremos de velejar sem nos envolver em conflitos. Já temos um descarte. Vamos olhar também para os barcos que estão atrás e têm chances de nos alcançar. Da forma como começamos, se acabarmos no pódio será um grande resultado”, analisa o velejador olímpico André Fonseca, o Bochecha, tático do Phoenix. A primeira largada deste domingo está prevista às 13h.         

sbnews-foto-20181117-05
Flotilha em popa (José Olímpio / ICRJ)

 

Classificação após seis regatas (um descarte)

1 – Ginga (Breno Chvaicer) – Ilhabela: 1+2+1+(8)+1+2 = 7 pontos perdidos

2 – Phoenix (Souza Ramos) – Guarapiranga: (DNF)+1+3+6+2+1 = 13 pp

3 – 14 Bis (Victor Demaison) – Rio de Janeiro: (DNF)+3+11+1+4+3 = 22 pp

4 – Bond Girl (Rique Wanderley) – Guarapiranga: 7+5+2+4+(8)+6 = 24 pp

5 – Relaxa (Arthur Vasconcellos) – Guarapiranga: 2+(14)+5+2+9+8 = 26 pp 

6 – Dom (Pedro Lodovici) – Ilhabela: 4+4+6+5+(11)+7 = 26 pp

 

Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com
MTb: 23.297 / (11) 9 9275-7044
  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s