Últimas cartadas da segunda etapa da Volvo Ocean Race

Leg 02, Lisbon to Cape Town, Day 19 Ben Piggott and Tom Clout move the stack of sails on board Sun Hung Kai/Scallywag. Photo by Konrad Frost/Volvo Ocean Race. 23 November, 2017.
Konrad Frost/Volvo Ocean Race

Perna entre Lisboa e a Cidade do Cabo deve ser concluída nesta sexta-feira (24) após várias trocas de posições

A segunda etapa da Volvo Ocean Race deve terminar na tarde desta sexta-feira (24) o o resultado segue indefinido. A prova entre Lisboa, em Portugal, e a Cidade do Cabo, na África do Sul, será decidida na aproximação ao destino final. Cartão-postal sul-africano, os ventos perto da Table Mountain sempre reservam surpresas.

A vantagem segue com os espanhóis do MAPFRE, mas os adversários, inclusive o team AkzoNobel da brasileira Martine Grael, tentam o ataque final pelo Atlântico nas últimas 24 horas de regata. Desde a largada em 5 de novembro, as equipes estão se revezando na ponta.

Nesta quinta-feira (23), o Vestas 11th Hour Racing – vencedor da primeira etapa – e o Sun Hung Kai / Scallywag optaram por implantar o modo sigilo, justamente quando a segunda perna da Volvo Ocean Race atinge seu clímax.

“Estamos puxando o barco ao máximo possível”, disse a medalhista olímpica Jena Mai Hansen, do Vestas 11th Hour Racing. “O Dongfeng não está longe de nós e o MAPFRE tem 30 milhas de frente. Nós estamos olhando um para o outro vendo quem vai fazer algo diferente”.

A equipe espanhola do MAPFRE chegou a abrir mais de 30 milhas náuticas de vantagem para o o Dongfeng Race Team na tarde desta quinta-feira. Mas os outros adversários não se dão por vencidos. 

“Vamos fazer o nosso melhor para ver se podemos mudar isso”, disse o navegador Andrew Cape, do Team Brunel, terceiro colocado. “Pode ter surpresa, especialmente na Table Mountain, e não vamos perder a esperança”.

 Antes de entrar no modo invisível, Dave Witt, comandante do Sun Hung Kai / Scallywag, explicou sua situação. “Estamos em uma situação extremamente difícil. É duro quando trabalhamos tão forte para voltar para trás. Sinto que estou batendo minha cabeça contra uma parede de tijolos”.

 A brasileira Martine Grael, em entrevista a bordo do team AkzoNobel, falou o que vai fazer quando pisar em terra, após 20 dias de regata descendo o Atlântico. ”Quando chegar em terra preciso de um banho e um bom café da manhã. Depois exercitar as pernas, pois no barco a gente anda muito pouco. Acho que é isso, uma boa comida e matar a saudade de casa”.

A primeira etapa foi vencida pelo Vestas 11th Hour Racing. A Volvo Ocean Race será disputada até junho, incluindo uma etapa no Brasil, mais precisamente na cidade de Itajaí (SC), em abril de 2018.

 

Saiba tudo que está ocorrendo na regata em www.volvooceanrace.com ou nas nossas mídias sociais @volvooceanrace

Os fãs também podem ler as novidades da prova no Twitter com @RaceExperts (em inglês)

O aplicativo da Volvo Ocean Race está disponível para iOS e Android.

 

Maiores informações:

Flavio Perez – Relações com a Mídia em Português
flavio.perez@volvooceanrace.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s