Copa Paulista começa com recorde de barcos na Guarapiranga

Largada da Laser (Douglas Moreira / Fisheye Image)

Primeira etapa da temporada reuniu 88 embarcações na represa paulista, maior número de inscritos desde o início da competição em 2015

São Paulo (SP) – A abertura da Copa Paulista indica rumo promissor para a vela na temporada de 2017 no Estado de São Paulo. O fim de semana (11 e 12/02) atraiu para a Represa de Guarapiranga 88 barcos, sendo 13 da classe Optimist, recorde de participantes em apenas uma etapa da competição criada em 2015. As 15 classes inscritas disputaram entre duas e quatro regatas conforme a raia.

Neste ano a disputa mudou de Copa YCP (Yacht Club Paulista) para Copa Paulista e uma das novidades, raia reduzida e exclusiva para a classe Optimist, surtiu efeito imediato mobilizando os jovens velejadores e seus pais. Entre 13 barcos da “OP”, os três primeiros colocados são do Clube de Campo São Paulo (CCSP), pela ordem: André Vasconcellos, Conrado Cookson e Luc Le Corre.

Esforço em família (Douglas Moreira / Fisheye Image)

Outra mudança, é o acréscimo de nove para 12 etapas, sendo três inéditas no litoral devido à parceria entre YCP e ICS (Iate Clube de Santos). “Achei as mudanças fantásticas porque passam a envolver outros clubes e levam os velejadores para o mar. Para fortalecer a vela, os clubes precisam ter consciência de se unir e deixar a concorrência apenas entre os atletas na água, durante as regatas”, recomendou o juiz internacional Dionysio Sulzbeck, diretor da Comissão de Regatas na Copa Paulista.

O futuro da vela (Douglas Moreira / Fisheye Image)

Laser e Snipe em massa – A classe Laser levou 26 barcos à raia contra 25 da Snipe. Leonardo Lorenzi, de 13 anos velejou de Snipe na proa de Luis Borba e considerou que a Copa evoluiu em relação a 2016. “Com as classes separadas em mais raias, fica mais fácil para os velejadores porque a regata fica mais limpa. Estou ansioso para velejar no mar pela primeira vez de Snipe. Até hoje só velejei no oceano de Optimist”, avaliou o jovem Léo. As primeiras regatas em Santos serão em 25 e 26 de março. Antes, a Guarapiranga recebe a segunda etapa do ano em 04 e 05 de março.

A numerosa classe Snipe correu duas regatas e tem liderança da dupla do YCP, Leonardo Prioli e Gabriel Chorociejus seguidos por Enrico e Frederico Francavilla (YCSA) e por Alberto e Eloáh Hackerott (YCP). As três divisões da Laser têm os seguintes líderes após três regatas: José Hackerott (YCP – Standart), Stephan Kunath (YCSA – Radial) e Felipe Fonseca (YCSA – 4.7). Ricardo Santos (YCSA) lidera a classe Finn, enquanto Arno Buchli Jr. (ASBAC) é o primeiro colocado na Day Sailer.

Nível olímpico (Douglas Moreira / Fisheye Image)

Em meio aos velejadores mais experientes, adotados como espelho pelos mais jovens, destaca-se Manfred Kaufmann, o Fips, da Laser, associado do YCP nas décadas de 70 e 80 e que recentemente retornou ao clube como sócio-esportista. “A Copa tem sido minha oportunidade de treinar de Laser para o World Master Games, em abril na Nova Zelândia. Além da represa, quero aproveitar a experiência de intercâmbio das regatas no mar. Santos possui uma flotilha muito competitiva de Laser, o que fortalecerá minha preparação para o Mundial Máster”, afirmou Fips com entusiasmo.

 

Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com

MTb: 23.297 / (11) 9 9275-7044

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s