Star Sailors League é o próximo desafio de Robert Scheidt

Scheidt e Prada em Nassau (Studio Borlenghi/SSL)
Scheidt e Prada em Nassau (Studio Borlenghi/SSL)

Após os Jogos Rio 2016 principal atleta olímpico do País volta às Bahamas onde conquistou a primeira edição da Star Sailors League

São Paulo (SP) – As cinco medalhas olímpicas e os 14 títulos mundiais de Robert Scheidt confirmaram, logo no primeiro ano de existência da Star Sailors League (SSL), a força da liga criada pelos próprios velejadores da classe Star. Ao lado de Bruno Prada, o bicampeão olímpico da Laser venceu a edição inaugural da SSL Finals em dezembro de 2013, em Nassau. Neste ano, Scheidt estará de volta às Bahamas entre 28 de novembro e 4 de dezembro em busca do segundo título.

Depois da quarta colocação na Laser nos Jogos Rio 2016, Scheidt terá a oportunidade de retornar à classe que lhe rendeu duas medalhas olímpicas e três títulos mundiais. “Acho que será um campeonato diferente em relação ao que fizemos em 2013, quando eu e o Bruno vínhamos de um ciclo olímpico. Velejei pouco de Star nos últimos três anos e preciso recuperar o ritmo”, considera Scheidt que neste ano correrá ao lado de Henry Boening, o Maguila. O ciclo olímpico de Star culminou com a medalha de bronze para a dupla brasileira nos Jogos Londres 2012.

Robert Scheidt (Studio Borlenghi/SSL)
Robert Scheidt (Studio Borlenghi/SSL)

“Teremos agora em outubro uma semana para treinos intensivos no Rio de Janeiro. Já velejei algumas vezes com o Maguila. É um excelente proeiro e podemos fazer um bom resultado em Nassau”, revela Scheidt que pretende chegar às Bahamas alguns dias antes do início da competição para treinar e fazer os ajustes finais na própria raia onde serão disputadas as regatas com os 25 melhores timoneiros e proeiros da temporada de 2016. Maguila ocupa a 12ª colocação no ranking da SSL.

Diante da necessidade de obter ritmo em período reduzido, Scheidt acredita que poderá contar com situação favorável em Nassau. “Preferimos vento forte e as condições na raia costumam apresentar vento de médio para forte, o que seria ideal para nós. Vamos correr contra velejadores muito bons e tenho a certeza de que esta será uma edição especial da SSL Finals com muitas estrelas mundiais, medalhistas olímpicos do Rio e meus adversários da Laser. Será fantástico e estou super animado”, prevê Scheidt.

Augie Diaz e Bruno Prada (Marc Rouiller/SSL )
Augie Diaz e Bruno Prada (Marc Rouiller/SSL )

No embalo dos Jogos Rio 2016 – O paulista de 43 anos afirma que não é possível apontar apenas um favorito entre tantos velejadores consagrados, mas cita os nomes de timoneiros que considera candidatos ao pódio: Torben Grael, Xavier Rohart (FRA), George Szabo (EUA), Augie Diaz (EUA), Diego Negri (ITA), além dos campeões olímpicos deste ano no Rio de Janeiro, Tom Burton (AUS) na classe Laser e Sime Fantela (CRO), na 470.

“A SSL está ganhando a cada dia mais reconhecimento internacional. O nível dos velejadores confirma a evolução e é muito importante para nós que se torne um evento ainda mais global em favor não apenas da classe Star, mas da vela de uma forma geral”, destaca Scheidt. A SSL Finals distribui premiação geral de U$ 200.000. Além do título em 2013, Scheidt foi quinto colocado em 2014, velejando com Bruno Prada nas duas edições. Boening ficou em quarto lugar em 2014 ao lado de Jorge Zarif.

Rachele Vitello – rachele.vitello@gmail.com

Ary Pereira Jr – ary70jr@hotmail.com

MTb: 23.297 / (11) 9 9275-7044

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s